terça-feira, 23 de maio de 2017

Novas tecnologias revolucionam a fotografia

Priscila Moraes

O Centro Cultural FIESP está com as portas abertas para o público conferir uma mostra inédita sobre o fotógrafo Henri Cartier-Bresson. Considerado o pai do fotojornalismo, a exposição conta com obras de quando o artista iniciou sua carreira, de 1932 até 1935. Além de contar com fotos da viagem de Bresson pela Espanha, Itália, México e outros países.

Bicycle, de Henri Cartier- Bresson
Nesta exibição, os admiradores de artes podem entender o início da carreira, as influências e os deslocamentos do criador da Agência Magnum. A Magnum é uma cooperativa de fotógrafos francesa criada em 1947 por Cartier e Robert Capa, e segue em atividade até os dias atuais influenciando fotógrafos pelo mundo inteiro. Porém, apesar desse legado, é inegável que a fotografia demorou muito tempo para ser encarada como arte. De acordo com o especialista em história da arte, Thiago Tozawa, essa demora se deve ao fato da fotografia ter sido considerada apenas um procedimento técnico. Mas mesmo com a demora para a fotografia se consagrar, é inegável a importância dela para as artes. “Graças a essa técnica, a pintura pôde romper com seus velhos preceitos e se repensar enquanto tal, contribuindo para uma nova linguagem artística”, conta.
Os artistas são capazes de criar e retratar o mundo e o ser humano sempre se reinventando. No mundo pós-contemporâneo que vivemos, as artes já não são as mesmas que foram no passado. Nos dias atuais, a arte é reproduzida com muito mais facilidade do que na era da modernidade. Walter Benjamin, associado à Escola de Frankfurt, foi um dos primeiros críticos a questionar a perda da aura como um advento da reprodutibilidade das artes. Thiago define essa nova relação como, sobre tudo, uma práxis, uma política; listando algo que aconteceu, um índice de acordo com a semiótica.
Além da reprodutibilidade ser maior hoje em dia, as novas tecnologias têm estado cada vez mais presente nas experimentações artísticas. E quando comparamos essas tecnologias com o trabalho fotográfico, é impressionante a rapidez com que a fotografia cresceu com o advento da web art. A web arte tem como principal característica a construção de trabalhos especialmente feitos para a internet, parcial ou integralmente.
Contudo, para entender o porquê da escolha dos artistas pela internet devemos analisar diversos fatores. Os artistas sempre buscaram o novo, seja sobre a forma de pensar ou sobre a técnica dos trabalhos, então, com o tempo, eles incorporam novas ideias e novos meios relacionados a sua época. Mas novos meios não tornam os outros processos obsoletos. Conversamos com a fotógrafa profissional Bruna Grillo que nos contou que entre suas inspirações estão seriados, livros e filmes, além de ter insights quando faz sua pós-produção, mas afirma que o momento em que mais cria é na prática: “Quando eu estou fotografando, eu crio”, afirma. 
Já para a divulgação, a internet é item primordial para os artistas pós-contemporâneos, como a Bruna: “A internet facilitou muito o marketing, antigamente isso era possível apenas em jornais, revistas, rádio e televisão. O que não era viável para pequenos empreendedores, que é o meu caso”. Ela adicionou que sem a internet a realização do seu trabalho seria árdua, já que o seu processo de divulgação é feito unicamente online. 
Ryck Rodrigues, também fotografo, acredita que a internet traz muitos benefícios para a sua profissão. “Com a internet, você consegue ter um alcance maior de clientes o que facilita a divulgação do trabalho”, conta. Ao ver esses trabalhos percebemos que existe uma reformulação da linguagem que se adaptou ao nosso tempo. 

Conheça os trabalhos artísticos dos fotógrafos entrevistados:

Bruna Grillo
Site: http://blog.brunagrillo.com.br
Página Facebook: facebook.com/brunagrillofotografia
Instagram: @brugrilloo

Ryck Rodrigues
Instagram: @ryckcadeasfotos


E não deixe de conferir a exposição Henri Cartier-Bresson, primeiras fotografias:

Período: de 18 de abril a 25 de junho de 2017
Horários: diariamente, das 10h às 20h
Local: Galeria de Fotos do Centro Cultural Fiesp (Av. Paulista, 1313 – em frente à estação Trianon-Masp do Metrô)
Grátis. Mais informações: www.centroculturalfiesp.com.br



Ouça a reportagem: 


0 comentários:

Postar um comentário

Pesquisar